Capes lança edital para pesquisas sobre manchas de óleo no litoral brasileiro

Material de origem desconhecida atormenta o meio ambiente desde o fim de agosto
Matheus Muratori - redacao@souecologico.com
Meio Ambiente
Publicado em: 22/11/2019

Um edital será lançado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) nesta sexta-feira com o objetivo de destinar R$ 1,36 milhão para seleção de projetos que vão fazer pesquisas sobre o óleo encontrado no litoral brasileiro. O material, ainda sem origem confirmada oficialmente, teve os primeiros registros em território nacional em 30 de agosto e, desde então, maltrata o meio ambiente.

As propostas devem ser encaminhadas entre os dias 25 de novembro e 4 de novembro pela plataforma online do Capes. O resultado final será divulgado a partir de 18 de dezembro. Clique aqui para ter acesso ao edital.

Podem apresentar projetos professores vinculados a programas de pós-graduação stricto sensu recomendados pela coordenação. Cada proposta aprovada terá o valor de financiamento de até R$ 100 mil, liberados em uma única parcela, e uma cota de bolsa de mestrado. O projeto deverá ser desenvolvido ao longo de dois anos, podendo ser prorrogado por mais 12 meses.

Material ainda não teve a origem conhecida pelas autoridades (Foto: Adema/Governo de Sergipe)
Material ainda não teve a origem conhecida pelas autoridades (Foto: Adema/Governo de Sergipe)

As áreas de pesquisa prioritária são avaliação dos impactos ambientais e socioeconômicos, biorremediadores, dispersão do óleo, processamento de resíduos e tecnologia aplicada à contenção do óleo.

“O programa Capes-Entre Mares atende demanda apresentada pelo Grupo de Acompanhamento e Avaliação criado no âmbito do Plano Nacional de Contingência para a gestão de ações de resposta após a ocorrência do desastre”, disse a Capes.

O grupo é formado pela Marinha do Brasil, Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis (Ibama).

Segundo o Ibama, 675 áreas foram afetadas pela substância poluente. Elas estão espalhadas por 116 municípios de dez estados: nove da Região Nordeste (Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) e um da Região Sudeste (Espírito Santo).


Postar comentário